Entenda como funcionam os juros de financiamento imobiliário

POR: Tok de Segurança Postado em 16/12/2019

Um dos principais fatores a serem considerados na hora de comprar um imóvel é o juros de financiamento. Isso porque uma escolha errada pode gerar um aumento considerável no valor total pago pelo imóvel, e não é isso que você quer, certo? Cada instituição bancária define o valor máximo financiável, o valor limite do imóvel, o prazo de pagamento e a taxa de juros. Por essa razão, fazer uma simulação em diferentes bancos é fundamental para acertar na escolha.

Normalmente, as taxas de juros para financiamento imobiliário variam de 4,5% a 14% ao ano. Já as taxas mais baixas correspondem aos programas habitacionais subsidiados pelo Governo Federal, as quais estão sujeitas ao enquadramento de condições mínimas, como valor do imóvel e renda familiar.

Neste artigo vamos explicar como funcionam dos juros de financiamento imobiliário e o que avaliar para escolher a melhor taxa. Acompanhe!

Como funcionam os juros de financiamento imobiliário?

Quando uma instituição bancária concede um crédito para uma pessoa, sobre o valor emprestado é incluído uma taxa de juros, a qual serve para compensar questões como custo de operação, inflação de um período e risco de investimento. Em suma, podemos afirmar que a taxa de juros tem relação com o valor financiado e o período que a pessoa levará para quitar o débito.

Levando isso em consideração, a instituição define um percentual que incidirá sobre o valor inicial emprestado, o qual impactará diretamente na quantia final a ser paga.

Quais os tipos de taxas existentes e qual a diferença entre elas?

Diferentes tipos de financiamentos exigem diferentes taxas de juros. Conheça os mais comuns e entenda a diferença entre eles.

  • Juros simples: nesse caso, a taxa de juros incide de maneira regular sobre o valor total da dívida;
  • Juros compostos: a cada parcela, a soma dos valores a serem pagos é feita com base no valor inicial e, também, nos juros das parcelas anteriores. 
  • Juros compensatórios: esse tipo de taxa de juros varia de acordo com o momento em que são pagos. Sendo assim, eles podem ser postecipados (quando são pagos no final do período) ou antecipados (quando são pagos no início do período).
  • Juros moratórios: esse tipo de juro incide quando há uma quebra de contrato, ou seja, quando há um atraso no pagamento das parcelas do financiamento. Esse tipo de juros também é chamado de juros de mora.

As instituições bancárias podem praticar a modalidade do juros simples em seus financiamentos. Isto é, o percentual da taxa de juros permanece o mesmo desde a primeira parcela até a última.

A cobrança de juros moratórios pode ser realizada, mas deve variar de acordo com cada caso. Já os juros compostos não podem ser aplicados em financiamentos, isso é proibido por lei (Decreto 22.626 e Súmula 121).

O que avaliar para escolher a melhor taxa de juros para financiar um imóvel?

Além da taxa de juros, você também precisa considerar o CET (Custo Efetivo Total) do financiamento. Sendo assim, ao realizar a sua pesquisa, exija da instituição financeira esses dados para que você saiba exatamente qual será o valor total dos encargos, juros e despesas envolvidas nessa operação. Dessa forma, é possível entender, de fato, quanto pagará pelo novo imóvel.

Entender sobre juros de financiamento não é algo tão complicado. Por essa razão, é importante estar atento sobre como essas taxas funcionam para não contrair uma dívida maior do que imaginava. Afinal, uma parcela do seu orçamento ficará comprometida por alguns anos e, por isso, é preciso se organizar financeiramente para não ter imprevistos.

Agora que você já entendeu sobre como funcionam as taxas de juros, que tal ficar por dentro de como funciona o financiamento imobiliário? Boa leitura e até a próxima!